sexta-feira, 29 de março de 2013

Alterações neurológicas em pequenos animais



Pequenos animais podem apresentar alterações neurológicas em qualquer fase da vida. Essas alterações podem se manifestar de forma aguda ou sutil, progredindo lentamente durante vários meses. Existem algumas raças que são mais predispostas a certas alterações neurológicas que outras.

Os animais com sintomas neurológicos podem apresentar lesão primária no sistema nervoso ou apresentar uma doença metabólica ou sistêmica que afeta o sistema nervoso de forma secundária, sendo nesses casos importante a avaliação por um médico veterinário experiente.

Animais com lesão cerebral podem mostrar uma série de alterações, que em muitas vezes é erroneamente associadas à idade avançada, tais como andar sem parar, trombar em objetos, alteração no comportamento e de personalidade, agressividade, dormir de dia e ficar acordado durante toda noite, perseguição de cauda, ficar parado ou preso nos cantos, latir ou miar excessivamente.

Os com sintomatologia neurológica também podem apresentar dor, claudicação (mancar), impotência do membro (não apoiar a pata), arrastar a pata no chão, quedas, incoordenação (não andar em linha reta ou andar apoiando na parede) ou até paralisia, de um ou todos os membros. Podem apresentar convulsão (ataque, crise), ficar todo esticado, tremendo, salivando, com olhar estranho (pupilas dilatadas), gritando, perder controle das fezes e da urina. Podem ainda apresentar cegueira súbita, corrida histérica, perder o movimento de um lado da face ou do corpo, ficar com a cabeça pendendo ou torta (inclinada ou torcida) para um lado, dificuldade para respirar ou deglutir (engolir), insônia, presença de algum tipo de movimento involuntário (“tique”, “movimentos de mastigar chicletes”).

Os proprietários de animais com alteração neurológica devem levar seus animais para ser avaliados por um médico veterinário experiente o quanto antes e evitar qualquer forma de tratamento por conta própria, devido ao risco de complicar ainda mais o problema.

Os sintomas podem ser mais ou menos evidentes dependendo da localização e da extensão da lesão. Diferentes doenças podem causar alterações clínicas muito semelhantes. Em muitos casos além da obtenção do histórico e exame físico completo, é necessária a realização de exames complementares específicos na obtenção do diagnóstico, seleção da melhor forma de tratamento e determinação do prognóstico. Dentre os exames complementares atualmente disponíveis somente em alguns centros especializados, a mielografia e a tomografia apresentam grande importância, pois permitem a visibilização de estruturas anatômicas contidas no crânio (no caso da tomografia) e na coluna vertebral (mielografia e tomografia).

Nos animais mais jovens, a incidência de má formação e de doenças infecciosas é grande. A má formação mais frequente em cães é a hidrocefalia, principalmente nas raças de pequeno porte, tais como Poodle toyYorkshiremaltês. Animais acometidos podem ou não apresentar alteração na conformação da cabeça associada a alterações de comportamento. Embora intoxicação e traumas possam ocorrer em qualquer idade, filhotes, devido sua curiosidade, estão mais sujeitos a apresentar tais alterações. Principalmente nesse período, as orientações fornecidas pelo médico veterinário quanto ao manejo e realização do esquema da vacinação correto são fundamentais, reduzindo a incidência de doenças infecciosas e de ”acidentes”.

Nos animais adultos, doenças infecciosas (principalmente a cinomose emcães e a peritonite infecciosa em gatos) e inflamatórias são frequentes. Doenças degenerativas do disco intervertebral (tais como hérnia de disco) são frequentes, principalmente nas raças condrodistróficas (por exemplo,DachshundBeagle e Cocker). Nos cães adultos, a epilepsia idiopática (animal apresenta somente convulsões recorrentes) é bem frequente, especialmente em algumas raças, tais como pastor alemão e poodle. Animais epilépticos, principalmente os de grande porte, apresentam com frequência o chamado “estado epiléptico” (convulsões seguidas por mais de cinco minutos, sem retorno de consciência).

Nos animais idosos, a incidência de doenças metabólitas, neoplásicas primárias ou metástases, vasculares (infarto, derrame, isquêmia, AVC), degenerativas aumenta. Tanto cães quanto gatos de qualquer raça e sem definição racial podem apresentar tumores cerebrais, sendo o mesmo especialmente frequente em certas raças, por exemplo, Boxer.
Fonte: Pet Care
Adaptação:   Equipe CPT Cursos Presenciais

15 comentários:

  1. Descobri hoje que minha shihtzu Belinha nasceu com má formação e tem alteração neurologica. Ela vai fazer 3 meses dia 26 março .
    Ela não escuta , a visão é comprometida enxerga pouco e é extrabica. Não sei como lidar com isso.
    Sei que vou ter que ter cuidados especiais mas como?
    Ela dorme muito, como vou brincar com ela, queria vê -lá alegre e correndo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa semana meu shihtzu tb foi diagnósticado com má formação neurológica... Gostaria de saber como conseguiu lidar com isso, pois estou muuuuito triste e não sei o que fazer...

      Excluir
  2. Meu gato foi diagnosticado com problema neurológico e seus membros paralisaram. A vet. está medicando. Gostaria de saber se vcs sabem de algum caso em que o animal melhorou.

    ResponderExcluir
  3. Esqueci de colocar o e-mail: rosemeiredbr@msn.com

    ResponderExcluir
  4. Meu boxter está com problemas neurológicos,esta uma tristeza, da do mas não vamos desistir dela nunca, não está andando, não conhece mais a gente, alguém tem alguma inforacao prai dar?
    obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Meu boxter está com problemas neurológicos,esta uma tristeza, da do mas não vamos desistir dela nunca, não está andando, não conhece mais a gente, alguém tem alguma inforacao prai dar?
    obrigada.

    ResponderExcluir
  6. Olá pessoal tenho uma beagle de 3 meses e o veterinário encaminhou para um neurologista devido a sua marchar pender da cabeça estamos sem condições financeiras de levar não sei o que fazer quero que ela fique bem analumirandabarros@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. Olá pessoal tenho uma beagle de 3 meses e o veterinário encaminhou para um neurologista devido a sua marchar pender da cabeça estamos sem condições financeiras de levar não sei o que fazer quero que ela fique bem analumirandabarros@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde, meu cachorro tem sete anos, e a cinco dias ele começou a ficar com o pescoço torto, pensei em torcicolo e dei a ele um relaxante muscular, mas não melhorou e agora não está comendo e está com as fezes com um catarro e um cheiro muito ruim!! Tenho medo que seja cinomose!!

    ResponderExcluir
  9. Bom dia!! Minha gata Nene está com 17 anos, de sabado para cá apresenta falta de apetite, pupilas dilatadas, não dorme e mia grosso, coisa que nunca fez, parece alheia ao mundo, não tem muito controle sobre suas necessidades, faz em qualquer lugar às vezes em sua caixinha. Estavamos cuidando como problema no figado pois os exames deram alteração figado e rins, mas com estes indicios, mudamos o foco como sendo uma complicação neurologica. Estou muito preocupada, como faço para cuidar, gostaria de uma nova opinião.
    No aguardo.
    Meu e-mail su.costa60@yahoo.com.br
    Obrigada Sueli

    ResponderExcluir
  10. Ola boa tarde, tenho uma lhasa apso de 4 anos, ela teve filhotes no dia 28 de março ela é bem amora, mas depois da cria fico estressada com qualquer barulho, e agora há 2 dias atras vi que ela começou a entorta o pescoço para o lado, e ao pegar ela deperdendo do jeito ela vira o corpo todo.... por que? nayaratrez2014@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Ola boa tarde, tenho uma lhasa apso de 4 anos, ela teve filhotes no dia 28 de março ela é bem amora, mas depois da cria fico estressada com qualquer barulho, e agora há 2 dias atras vi que ela começou a entorta o pescoço para o lado, e ao pegar ela deperdendo do jeito ela vira o corpo todo.... por que? nayaratrez2014@gmail.com

    ResponderExcluir
  12. Olá meu nome é Andreia tenho uma cadelinha de 4 meses tem crises neurológicas treme as orelhinhas as vezes o pescoço fica torto, fui ao veterinário ele a medicou com gardenal estou dando 40mg pediátrico 5 gotas a cada 12h ela pesa 3600kg porém ela tem dia q chora muito como se estivesse gritando tem dias q passa a noite gritando ele falou que é normal eu poderia aumentar a dose aumentei mais ainda continua com esse choro. Ela sente dor ? Ou o choro ou grito nao sei tem a ver com a crise???ja fui 6 vezes ao veterinário e falam amesma coisa. Me ajude obriga
    Andreiaefreitas@gmail.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui!!! Favor não esquecer de deixar o email tb, para melhor atendê-los.