quinta-feira, 27 de outubro de 2011

INAUGURAÇÃO DA CLÍNICA ESCOLA DE PEQUENOS ANIMAIS E OBRAS DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA UNIVÉRTIX

Na manhã dessa quinta-feira (27/10), os alunos e professores do curso de Medicina Veterinária foram convidados para o coquetel de inauguração da Clínica Escola de Pequenos Animais da Medicina Veterinária da Univértix. Ainda que provisória (será transferida para o hospital em 2012), o ambiente está muito bem montado com todos os equipamentos e instrumentais necessários a dezenas de atendimentos. Na clínica serão oferecidos desde atendimentos ambulatoriais, quanto cirurgias diversas.
A solenidade contou com a presença do Presidente da Mantenedora Sr. João Batista Gardingo, do Diretor Geral Prof. Lucio Sleutjes, do Coordenador do Curso Prof. Gilberto Machado Valente e dos professores da veterinária: Bruna Waddington, Pablo Herthel, Paloma Arreguy, Patrícia Mendes, Orismário Rodrigues, Renata Fontes entre outros. O padre Bosco, pároco tradicional do município foi encarregado das bênçãos.
Na sequência um coquetel foi servido aos participantes que visitaram as instalações e foram conhecer o local das obras do Hospital Escola. Confira algumas das fotos...





Após a inauguração da Clínica Escola de Pequenos Animais, os alunos do curso de Medicina Veterinária da Univértix foram visitar o canteiro de obras do Hospital Escola. Trata-se de um projeto com mais de 4.000 m2 da mais alta tecnologia. Durante a visita o Mantenedor Sr. João Batista Gardingo, o Diretor Prof. Lucio Sleutjes, o Coordenador Prof. Gilberto Machado e a Profa. Débora Spatini (arquiteta responsável pelo projeto), explicaram a dimensão e os planejamentos que envolvem esse projeto.
Desenvolvido ao longo do último ano, o projeto foi construído por diversas mãos, com a participação intensa dos professores do curso, que opinaram e ajudaram o Coordenador Prof. Gilberto, mentor do projeto, a dar forma ao mesmo. Nesse período diversos hospitais foram visitados e colhidas informações sobre fragilidades e fortalezas no dia-a-dia do funcionamento. A expectativa do mantenedor é criar um fluxograma que permita um ótimo funcionamento com tudo que é necessário para a formação de ótimos profissionais.
Não é por acaso que o curso de Medicina Veterinária da Univértix tornou-se referencia na região.
Confiram algumas fotos...



quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ADOÇÃO. ADOTAR É TUDO DE BOM!!!


AJUDE-NOS A AJUDÁ-LOS A ENCONTRAR UM LAR FELIZ. INTERESSADOS FAVOR ENTRAR EM CONTATO DEIXANDO DEPOIMENTO AQUI OU PASSANDO UM E-MAIL PARA: equipeveterinariaunivertix@yahoo.com.br. PERÍODO DO DESMAME: 10 DE DEZEMBRO DE 2011.






Lindos cães de uma cadela super dócil para adoção. Estamos precisando de achar pessoas interessadas em adotar para nos ajudar nessa. Interessados favor entrar em contato com o Blog. São 6 machos e 2 fêmeas. Duas fêmeas e dois machos já foram adotados. Somente temos 4 machos disponíveis para adoção agora. Contamos com vocês!!!
Adotar é tudo de bom!!! 
Estamos em Manhuaçu - MG.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Corportamento sexual de eqüinos, suínos, caprinos e ovinos




EQÜINOS
Sinal de estro - vulva edemaciada, presença de muco, duração do estro: 2 a 11 dias.
Comportamento da fêmea - comportamento sexual, cauda levantada, agachamento para urinar, eversão do clitóris, orelhas voltadas parcialmente ou completamente para frente.
Comportamento do macho - reflexo de flehemen, protusão e ereção do pênis, relinchar, cheirar e lamber a vulva, morder, escoitear, duração de 20 a 60 segundos.


SUÍNOS
Sinal de estro - vulva edemaciada, coloração da vulva avermelhada no final do estro, rósea no estro e pálida no diestro, discreta presença de muco, duração do estro varia de 48 a 72 horas.
Comportamento da fêmea - homossexual, imobilidade a monta quando ocorre reflexo de tolerância ao homem ou reflexo de tolerância ao macho, tentativas de montas, orelhas em pé, leve tremura. A vocalização de chamar o macho não ocorre na espécie suína.
Comportamento do macho - 1) Secreção de feromônio pela saliva, mascar constante; 2) cortejo - é quando o macho aproxima de uma fêmea e tenta conquistar a mesma. Morde as orelhas, flanco e dorso das fêmeas, teste de imobilidade de focinho a focinho. 3) protusão ao pênis com ou sem masturbação.


CAPRINOS
Sinal de estro - presença de muco seco, cristalino no início do estro, caseoso no final do estro. Edema e vermelhidão da vulva. Duração do estro: 22 horas - 96 horas.
Comportamento da fêmea - homossexual, mais intenso que em outras fêmeas domésticas, vocalização freqüente (berro). A fêmea ranca o pelo do macho.
Comportamento do macho - 1) Cortejo; 2) Micção próximo a fêmea; 3) exposição do pênis; 4) Masturbação; 5) Flehmen; 6) Duração da cópula 1 a 2 segundos.


OVINOS
Sinal de estro - vulva congesta, secreção copiosa de muco, duração do estro: 30 horas.
Comportamento da fêmea - homossexual é muito raro. O estímulo táctil da fêmea é feito pelo ato de fossar e lamber a região perineal. As fêmeas apresentam uma tendência de urinar, frequentemente, na presença do macho e sua atividade motora é aumentada, ficando impaciente durante o período de estro
Comportamento do macho - os atos de fungar e lamber a fêmea são os padrões mais habituais, sugerindo uma importante função do olfato. O macho cheira a urina da fêmea e, então, levanta a cabeça, com os lábios torcidos, no ritual “reação de Flehmen”



Alguns padrões de comportamento sexual são específicos em algumas espécies e merecem atenção quanto a identificação de animais em estro e de manejo dos machos.


Fonte: Palestra de "Comportamento Sexual dos Animais Domésticos".

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Filhotes de pássaros atraem mais de cem voluntários ao Ibama no Recife


Quinhentas aves foram apreendidas e não havia gente para alimentá-las.
Órgão pediu ajuda pela internet e moradores se organizam em turnos.


Uma apreensão de 517 filhotes de papagaios, papagaios-galegos e maritacas que ocorreu na última semana em Pernambuco tem movimentado a sede do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), de Recife.
A pouca quantidade de funcionários no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) para cuidar dos espécimes, que recebem alimentação pelo menos três vezes ao dia e precisam ser observados constantemente, chamou a atenção de mais de uma centena de voluntários, que passaram a frequentar diariamente o local.
Os filhotes, encontrados na caçamba de um caminhão na região de Juazeiro, seriam comercializados ilegalmente em Petrolina e em Recife. Eles estavam em gaiolas, em más condições, e precisavam ser socorridos com urgência para que não morressem.
Com apenas três funcionários, o Cetas teve que pedir ajuda. Segundo Edson Lima, analista ambiental do Ibama, tudo começou com uma mensagem via e-mail para um grupo de cinco pessoas. “A mensagem foi colocada em sites de relacionamento e houve uma ‘explosão’ de voluntários nos procurando para alimentar esses animais”, disse Lima.

Filhote de papagaio recebe alimento especial dado por voluntária em centro de triagem do Ibama, em Recife (PE) (Foto: Reprodução/TV Globo)

Outros cinco especialistas foram contratados temporariamente para dar conta. “Além deles, já contamos 133 voluntários e continuamos recebendo ligações de diversas pessoas. Tivemos que criar um esquema de grupos de dez pessoas por turno para alimentar os animais. Não estamos recusando ninguém, mas a preferência é para aqueles envolvidos com a biologia ou medicina veterinária”, disse Lima.


Necessidade
Como a base do Cetas em Recife é pequena, os papagaios e maritacas foram colocados em caixotes em uma sala improvisada. Por dia, são consumidos seis quilos de ração especial, ao custo de R$ 200.
“Além do alimento, precisávamos de seringas, luvas e óculos especiais para quem fosse cuidar dos bichos. Estamos tendo ajuda de duas organizações ambientais, uma brasileira e uma norte-americana, que estão nos doando os materiais”, disse Edson Lima.


Os filhotes de papagaio e maritacas foram colocados em caixotes em uma sala improvisada do Cetas. O tratamento especial deve demorar dois anos, até que as aves possam ser reincorporadas à natureza (Foto: Reprodução/TV Globo) 


Por pelo menos dois anos esses animais receberão tratamento especial, até conseguirem sobreviver sozinhos na natureza. Entretanto, devido à falta de espaço no Centro de Triagem e à possibilidade de novas apreensões ainda este ano, as aves serão distribuídas para o Centro de Manejo de Fauna da Caatinga da Universidade Federal do Vale do São Francisco, em Petrolina, e para um viveiro de uma igreja em Vitória de Santo Antão.


Crime ambiental
O comércio de aves, como os papagaios e a maritaca, é controlado pelo Ibama. Entretanto, Lima afirma que o tráfico de animais continua constante em Pernambuco, apesar do reforço na fiscalização feito por agentes do instituto e pela Polícia Ambiental.
Segundo o Cetas, em todo ano de 2010, 5.843 animais foram apreendidos, sendo que mais de 5 mil eram aves. De janeiro até 19 de setembro de 2011, 5.072 animais foram levados ao centro para cuidados, sendo 4.478 aves. “Até o fim do ano, este número pode aumentar, pois o crime continua acontecendo”, disse o analista ambiental.


Fonte: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/10/filhotes-de-passaros-atraem-mais-de-cem-voluntarios-ao-ibama-em-recife.html