sábado, 24 de setembro de 2011

Câncer


A palavra câncer é assustadora para muitos de nós. É misteriosa na sua habilidade de afetar alguns animais e pessoas e não outros. Os tubarões, por exemplo, raramente desenvolvem câncer, enquanto certas raças de cães, como os boxers, são considerados por muitos veterinários como "fábrica de tumores". Por que alguns de nós tivemos ou teremos câncer e outros não?
As causas do câncer são complexas. Muitos fatores influenciam o desenvolvimento de uma célula normal e transformam-se numa assassina. Poluentes ambientais, alguns aditivos dos alimentos, radiação, alguns tipos de vírus e algumas substâncias químicas são conhecidos como carcinogênicos (causas de câncer). Também alguns genes têm sido relacionados como câncer em humanos e vemos indicações disso inclusive em animais. Os ratos, por exemplo, têm alto risco de desenvolver carcinoma mamário e cães grandes são mais propensos a desenvolver osteossarcoma, um tumor de osso, do que cães pequenos.
O câncer desenvolve-se quando as células perdem seu controle normal da divisão celular. Qualquer célula pode se tornar cancerosa e pode se dividir descontroladamente em qualquer tecido do corpo. Quando as células proliferam excessivamente, elas formam massas anormais denominadas neoplasmas, que são classificados em benignos (suaves) ou malignos. Os neoplasmas benignos são bem circunscritos e podem ser encapsulados. Como não se disseminam para outras partes do corpo e tendem a crescer lentamente, raramente representam perigo para o paciente desde que não afetem orgãos vitais. Alguns neoplasmas benignos, como os lipomas, são comuns em animais mais velhos e são, frequentemente, encontrados na camada de gordura subcutânea.
Os neoplasmas malignos, por outro lado, são invasivos, agressivos e podem se disseminar a outras partes do corpo e formas tumores secundários. As células malignas são menos aderentes que as células normais e, portanto, tendem a se separar do tumor primário. Essas células são levadas pelo sangue ou pela linfa para outras partes do corpo, onde podem estabelecer tumores secundários. Esse processo é chamado metástase e os tumores secundários são chamados massas metastáticas. Em animais, câncer primário de pulmão é extremamente raro, porque os animais não fumam, e esta é a causa mais importante do câncer pulmonar em humanos. Portanto, quando um animal é diagnosticado com câncer pulmonar, são feitos todos os esforços para encontrar um outro tumor (o tumor primário) em outro local do corpo. As células malignas formam grupos desorganizados, em vez das fileiras limpamente arranjadas vistas em tecidos normais. Por perderem sua inibição de contato, as células malignas invadem os tecidos circundantes, "passando por cima" das células normais. Em contraste, as células tumorais benignas tendem a empurrar as células normais para longe. A natureza invasiva e a habilidade de metastatizar tornam difícil a remoção cirúrgica completa dos tumores malignos. As células cancerosas tendem a ser imaturas em natureza e maiores e menos diferenciadas que as contrapartidas adultas normais.
Então, como os carcinógenos químicos, vírus e genes realmente causam câncer? A resposta é enganosamente simples: eles causam mutações no DNA que alteram a expressão de certos genes. Genes que são permanentemente desativados podem ser ativados e genes que deveriam estar ativos estão desativados. A célula é incapaz de funcionar normalmente porque sua programação foi alterada. Um pronto-oncogene é um gene com partes frágeis que facilmente podem ser partidas ou danificadas, torna-se conhecido como oncogene e provê instruções incorretas à célula. Nem todos os cânceres são atribuídos à formação de oncogenes, mas sua descoberta ofereceu maior percepção na importante relação entre carcinógenos e genética no desenvolvimento de câncer. (COLVILLE; BASSERT, 2010).

5 comentários:

  1. Olá...o meu yorke de 9 anos foi inicialmente diagnosticado com uma pancreatite...foi medicado e feito a dieta....Mas 15 dias depois ele tinha piorado e tiveram que operá-lo para ver o que estava causando o líquido inflamatório livre no pâncreas...Bom, saiu o resultado da biópsia e é Carcinoma metástico e pegou todo o intestino:(
    ele já fez 2 quimioterapias e respondeu bem...semana que vem será a terceira quimio...não me conformo dele estar com esta doença...pois sempre comeu a melhor ração e sempre foi tratado cm muito amor e fez até cirurgia de patela e ligamento cruzado....Ainda estou perdida diante de tudo...
    quanto tempo isso pode durar???

    ResponderExcluir
  2. meu e-mail
    tatianedipp@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. então tá...=/ ele faz quimioterapia e não vai sofrer...isso é o que importa=(

    ResponderExcluir
  4. Boa noite,

    Estou passando por uma situação difícil. Tenho um gato que fará 12 anos e estava apresentando espirros. Tirei radiografias e no laudo consta a seguinte informação: "Aumento de volume homogêneo hiperdenso em espaço mediastínico, cranial à base cardíaca, discretamente deslocado para hemitórax esquerdo, melhor visualizado m projeção vendtrodorsal - neoformação? / à esclarescer". Não há evidências de nódulos metastáticos dispersos em parênquima pulmonar. Há mais de 3 semanas da radiografia, meu gato por enquanto não apresenta sinais clínicos e os espirros diminuiram 99%. Se vc puder me mandar um e-mail e me falar o que vc acha, se tem tratamento, se pode ser um cisto, um abscesso além da possibilidade de um câncer, eu agradeço. Os vets que o examinaram disseram que pela difícil localização que o suposto tumor se encontra, uma cirurgia seria muito arriscada e não daria para realizar nem mesmo uma simples citologia. Sendo assim, não sei o que fazer. Só me resta então esperar que meu gato piore até morrer? Aguardo ansiosamente um retorno se possível em meu e-mail:

    nanda_bergamin@hotmail.com

    Att,

    Fernanda

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde! Obrigada por adicionar!
    Tenho um gato de 12 anos que resgatei da rua ainda quando era bebê.
    Mudei pra São Paulo e ele ficou sob os cuidados da minha Mãe que mora em Minas enquanto acabo a reforma do meu AP.
    Nesse meio tempo ele começou à espirrar muito, minha Mãe o levou ao veterinário e Descobrimos que ele estava com pneumonia, os pulmões estavam com líquido. Iniciamos o tratamento com medicamentos receitados pela veterinária há um mês, e pouco tempo depois ele apresentou os mesmos sintomas.
    Voltando com ele ao veterinário após uma radiografia foi constatado um possível tumor em seu pulmão com menos de 1cm.Gostaria de saber quais são os próximos procedimentos à serem feitos, quando ele estava com pneumonia foi feito a sucção do líquido pulmonar mas ela não pediu exame, e agora após o raio-x ela receitou um medicamento para cura da gripe durante 10 dias. Confesso que estou bastante preocupada com medo de estar correndo contra o tempo já que pode ter uma possibilidade de ser maligno e ocorrer metástase. Neste caso seria melhor uma biopsia, ou pela base do raio-x já iniciar uma quimioterapia para ver o desenvolvimento do tumor?
    Estou muito preocupada com a situação dele, principalmente porque não estou próxima. Pelo menos ele não perdeu peso e nem apetite.
    Semana que vem acaba a obra, e pretendo trazê-lo.
    A minha dúvida é em relação ao tratamento, como faço para dar continuidade ao tratamento dele aqui?
    Obrigada!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui!!! Favor não esquecer de deixar o email tb, para melhor atendê-los.