quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Raça: São Bernardo


País de Origem: Suíça
Tamanho: Grande
Área de Criação: Grande
Agressividade: Baixa
Atividade Física: Moderada

Pelo Curto
Utilização: guarda, busca, salvamento e companhia.
Tamanho: 65 a 80 cm para fêmeas, e 70 a 90 cm para machos.
Peso: 80 a 90 quilos.
Aspectos Gerais: porte grande, vigoroso, robusto, musculoso, de cabeça poderosa e expressão muito inteligente. A cauda é longa, pesada e curvada na ponta.
Pelagem: lisa, espessa, macia e resistente. Coxas moderadamente revestidas e na raiz da cauda é mais densa e longa, diminuindo em direção à extremidade, sem formar bandeira. A cor é branca e vermelha em várias tonalidades ou com predominância do vermelho sobre o branco..
Longevidade: 11 anos.
Temperamento: extremamente dócil, obediente, inteligente e boa índole.

Pelo longo
Utilização: guarda, busca, salvamento e companhia.
Tamanho: 65 a 80 cm para fêmeas, e 70 a 90 cm para machos.
Peso: 80 a 90 quilos.
Aspectos Gerais: porte grande, vigoroso, robusto, musculoso, de cabeça poderosa e expressão muito inteligente. A cauda é longa, pesada e curvada na ponta.
Pelagem: moderadamente longa, lisa ou levemente ondulada, sendo densa na cauda. Membros anteriores ligeiramente franjados e na coxa é abundante formando culotes. A cor é branca e vermelha em várias tonalidades ou com predominância do vermelho sobre o branco. É desejável o colar totalmente branco e coroa branca na cabeça.
Longevidade: 11 anos.
Temperamento: extremamente dócil, obediente, inteligente e boa índole.

A raça foi desenvolvida a partir de cruzamentos com mastins asiáticos e levada aos Alpes pelos romanos, há mais de 2 mil anos. Lá era muito utilizada em fazendas, como cães de guarda, pastores e de tração. A fama de cão salvador surgiu na Suíça, no século 18. Por volta de 1050, alguns monges fundaram um abrigo destinado a servir de refúgio a viajantes que atravessaram a traiçoeira Passagem de São Bernardo, entre a Suíça e a Itália. Eles começaram a treinar os seus cães para guiar e resgatar vítimas soterradas por avalanches, muito comuns no local na época de inverno. Estima-se que os São Bernardos tenham salvados mais de 2 mil vidas humanas durante os três séculos em que foram usados em resgates no abrigo. Em torno de 1830, a raça passou por novos cruzamentos com o Terranova. Dessa cruza, que não afetou o tipo nem as características do São Bernardo, surgiu a variedade de pelo longo. Os exemplares da raça precisam de muito espaço e muita comida. É um cão conhecido e admirado pela docilidade com crianças e pela lealdade ao dono.

FAMA Talvez o mais famoso cão de resgate que viveu na Passagem de São Bernardo tenha sido Barry, que, em sua existência, salvou 41 pessoas. Hoje pode ser visto empalhado no Museu de História Natural de Berna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!!! Favor não esquecer de deixar o email tb, para melhor atendê-los.