sábado, 5 de junho de 2010

Como treinar comandos básicos do seu eqüídeo (eqüinos, muares e asininos) sem prejudicar a boca dele.

Os cavalos desde os primeiros contatos com o ser humano despertaram uma espécie de fascínio sobre nós. Nós sempre tentamos entender melhor estes animais e aos poucos estamos aprendendo a conviver com eles de maneira a não maltratá-los para que eles confiem o máximo em nós, seus adestradores e/ou donos.
Antigamente a doma era brutal demais e os animais sofriam muito com aqueles métodos e ficavam seqüelas que em muitos casos faziam os animais sofrerem pro resto de suas vidas e levavam a diminuir muito o tempo de trabalhos destes animais.
As embocaduras (freios, bridões ou freio-bridão) foram sempre um dos maiores vilões e machucavam muito a gengiva, língua e comissuras labiais por não estarem de acordo com a anatomia da boca dos animais e também por serem usadas com muita brutalidade quando os peões davam trancos na boca dos animais e estes trancos eram ainda mais prejudiciais devido à péssima qualidade das embocaduras.
Atualmente procuramos sempre as embocaduras mais anatômicas e sabemos que os comandos de boca devem ser mais leves possíveis dando preferência até pelos comandos de perna, evitando assim contato mais direto com a boca do animal durante todo tempo de treinamento dos animais de pista ou passeio.
Ainda hoje é muito comum um veterinário ser chamado em algum Haras (criação de cavalos) e deparar com animais com pontas de dentes que machucam a boca dos animais e feridas que são feitas por uso agressivo das embocaduras por pessoas completamente despreparadas para realizar tarefas de adestramento dos animais.
Devemos lembrar sempre que para um animal ter uma boca leve e de fácil condução devemos sempre realizar os primeiros trabalhos com o cavalo ao passo e fazer os comandos lembrando sempre a seqüência - corpo, perna e rédea, da seguinte maneira:
Se você está em uma estrada e quer virar à esquerda, incline seu corpo ligeiramente a esquerda transferindo o peso do corpo para o estribo esquerdo pressionando a perna na região do silhadouro e na seqüência apóie a rédea do lado esquerdo (com cuidado) e deixe o animal virar à esquerda. Faça o mesmo para o lado oposto.
Para realizar o auto (parada) incline o corpo ligeiramente para trás e pressione as pernas na região do silhadouro (onde descem os estribos) do animal e depois apóie (puxando para trás) cuidadosamente as rédeas até que o animal pare por completo. Após a parada devemos soltar as rédeas e o animal continuar parado no local sem andar, e neste momento termos até a possibilidade de conversar com um amigo sem que o animal fique inquieto querendo andar.
Outra dica para descontração de boca do seu animal é sempre montar dedilhando as rédeas do seu animal, ou seja, fazendo pequenos movimentos com os dedos de modo que a embocadura faça uma “massagem” na boca do seu animal. Assim com o passar dos dias seu animal compreenderá melhor as indicações de auto e virar.
Depois desta primeira etapa vá aumentando a velocidade do animal tipo, passo alongado, marcha reunida, marcha alongada, galope reunido e galope alongado e deixe seu animal pronto para todos os momentos de lazer.
Fazendo isso você evita machucar a boca do seu animal e ele aprende com calma os comandos passados a ele, pois cavalo com dor não consegue aprender nada direito.Ah! Procure utilizar também embocaduras com o bocado (parte que vai dentro da boca do animal) de ferro ou cobre que estimulam muito salivação e assim a descontração da boca do animal.
Escrito por Alexandre Breder - Integrante do Blog e aluno do 1º período de Medicina Veterinária da Faculdade Vértice.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!!! Favor não esquecer de deixar o email tb, para melhor atendê-los.